Contos do Adamastor

Estorias surreais de pessoas irreais, contadas por um advogado ranzinza, carente, gentil e docil como um pequeno sagui silvestre. Nao recomendado para minorias intelectuais ou pessoas que se ofendem facilmente. Email: adamastor-em-gmail.com (sim, eu tenho um email do Google. Isso porque eu sou um nerd influente e poderoso)

27.5.04

Minha família e o meu blog



Aqui em casa o povo lê "Contos do Adamastor". Acredite. Esse meu diário-virtual é lido por todos da família, que acompanham a minha vida íntima e pessoal.

Mamãe é a minha maior fã. Acha que eu sou um grande escritor, "do calibre do Mauro Rasi", e vive rindo de minhas travessuras virtuais. Ela não liga para a transcrição de minhas andanças libertinas, ela só não gosta do fato de eu não ter uma namorada fixa, que eu possa apresentar para o resto da família, mas, no geral, ela tem orgulho do seu filhinho blogueiro.

Meu pai lê vez ou outra. Nunca riu. Acha que é uma tremenda perda de tempo e infantilidade. Que eu deveria aproveitar o tempo que eu escrevo nesse blog para estudar ou ganhar mais dinheiro. Que blog é coisa de babaca, que não tem o que fazer. Eu relevo as palavras do meu pai, pois delegados aposentados não costumam ser afeitos à ironia e aos estilos literários comumente empregados na Língua Portuguesa. Perdoo na boa.

Só peço para que não contem por aí a minha identidade secreta.

Já pensou se a galera sabe que eu sou uma adolescente malhada e gostosa?