Contos do Adamastor

Estorias surreais de pessoas irreais, contadas por um advogado ranzinza, carente, gentil e docil como um pequeno sagui silvestre. Nao recomendado para minorias intelectuais ou pessoas que se ofendem facilmente. Email: adamastor-em-gmail.com (sim, eu tenho um email do Google. Isso porque eu sou um nerd influente e poderoso)

18.4.04

Vovô Nelson



A minha obra-prima, a nível de blog, é o "Vovô Nelson virou Pó", onde são psicografadas mensagens de um velho ranzinza que morreu, foi cremado e teve seus dejetos, digo, restos mortais jogados na Lagoa.

Eu recebi a missão de psicografar essas babaquices, porque devia um dinheiro pro velhote.

O blog ainda existe, em algum lugar, mas eu aproveito a audiência desse lugar para trazer à baila algumas mensagens de amor e paz do falecido Vovô Nelson.

Se vocês gostarem, eu mando uma mensagem para ele, via sedex, e peço pra gente continuar o selviço

Toma aí:

"Meus filhos, eu cheguei bem. A água está morninha e não vejo peixe algum. Estou boiando em paz."

"Leleco, meu netinho, não chore. Vovô deixou 500 reais pra você no bolso. É só pegar"

"Quero que os meus outros netinhos não se sintam solitários. Seu vovôzinho está olhando por vocês aqui da Lagoa. Só espero que aquela árvore de natal horrorosa não tape a visão..."

"Anote o que eu vou dizer, seu puto: não existe purgatório. Tudo o que existe após a morte é essa Lagoa de merda, com esses viados remando pra lá e pra cá. Ainda bem que aquela estátua do polvo horrorosa saiu daqui. Maldita Yoko Ono!"

"Virei pó. Não tenho mais mão. Acabou-se a punheta na terceira idade. Acho que é um haikai, né?"

"Queria mesmo era uma merda de um enterro decente. Ficar na porra de um túmulo, quietinho e sossegado. Não sei quem foi o filho da puta que quis me cremar. Quem foi o viado que disse que eu queria isso? Eu quero é paz. Não quero ficar boiando nessa merdaria toda. "

"Adamastor, aquele timeco do Flamengo já foi pra Segunda Divisão? Já revelaram pro mundo que aquele guri do Titanic é viado? E aquelas 3 meninas que cantavam bonitinho, qual era mesmo os nomes delas?"

"Era um tal de Ransom, Janson, Hanson ou outra merda do tipo. Adorava aquela guriazinha que cantava e tocava um tecladinho. Pena que era muito magrinha e nem tinha peitinho. Deve ser a alimentação deles. Americano só come merda. Não foi a toa que comeram a sua mãe. Ehehehe"

"Tava brincando. É que hoje tô de excelente humor. Só ficava assim tão feliz e calmo quando ouvia as merdas que o Paiva Neto falava na TV. Dormia feliz e rindo pra caralho!

"Aquele guri é muito escroto. Conheci ele nas peladas de rua. Ele era o último a ser escolhido. Tinha canelinha fina e sempre se machucava. Tremendo péla-saco. Como não se garantia, resolveu escrever aqueles livrozinhos de merda, que ninguém entende. Aqueles analfabetos amigos dele nem deve saber o que é Grande Pátria Espiritual"

"As vezes me esqueço que tô na Lagoa e acho que me mijei todo. Tô molhadinho sempre.