Contos do Adamastor

Estorias surreais de pessoas irreais, contadas por um advogado ranzinza, carente, gentil e docil como um pequeno sagui silvestre. Nao recomendado para minorias intelectuais ou pessoas que se ofendem facilmente. Email: adamastor-em-gmail.com (sim, eu tenho um email do Google. Isso porque eu sou um nerd influente e poderoso)

21.1.04

o furor uterino e o spam



Depois do sofrimento retrocitado e ainda com o ódio circulando por meus corpos cavernosos, fui checar os meus emails e recebi um spam da FAJOPP - Faculdade João Paulo Primeiro, que se localiza em algum lugar perdido no Estado de São Paulo.

Como o supracitado spam fazia referência ao telefone dessa odiosa entidade ([0xx11] 3699-5405), resolvi ligar pra lá, mesmo sendo interurbano, pra descontar minha raiva em alguém.

Lembre-se, querido leitor: só pessoas covardes e amargas é que descontam suas raivas e frustrações nos outros. Pessoas de caráter nobre sofrem caladas e batem uma relaxante punhetinha no banheiro. De preferência, com aquele sabãozinho líquido que não arde as partes.

Fui atendido por LIlian, auxiliar de marketing, que gaguejou quando eu disse "que recebi um email sem ter pedido. Quenegóssoéesse?". Ela ficou uns minutos gaguejando, tentando se explicar e pediu para que eu falasse amanhã com o chefe dela, um rapazola que atende por Alexander.

Quando vi que ela me jogava pra escanteio, pensei em dar um esporro, mas refleti e vi que ela é apenas uma pobre celetista. Não tem poder de comando e está apenas cumprindo ordens. Quem precisa tomar uma descompostura é o seu chefinho, ora porra, que é o diretor do departamento de marketing.

Grandes merda. Morro de medo de diretores.

Jurei vingança e prometi ligar amanhã, pra falar com esse sujeito. Não vou dar esporro, xingar ou coisa e tal. Vou apenas pentelhar um pouco e exigir que ele respeite a Convenção Mundial de Berne, que tipifica o spam como crime inafiançavel e sujeita os autores até penas de quinze anos de trabalho forçado e sodomização quinzenal pelo Miguelão, o carcereiro oficial da Polícia Federal.