Contos do Adamastor

Estorias surreais de pessoas irreais, contadas por um advogado ranzinza, carente, gentil e docil como um pequeno sagui silvestre. Nao recomendado para minorias intelectuais ou pessoas que se ofendem facilmente. Email: adamastor-em-gmail.com (sim, eu tenho um email do Google. Isso porque eu sou um nerd influente e poderoso)

22.12.03

chegou o natal. que merda, hein?



Chegou o Natal. Os fóduns se fecharam para o recesso de fim de ano. Era, agora, pra eu estar no iate da família, batendo punheta em céu aberto, ajudando os Aliados a invadir a Fortaleza Europa no "Call of Duty", etc.

Mas, apesar da retrocitada fechadura da Justiça, tenho as seguintes incumbências:

1) impedir que uma vovozinha seja tungada por um coleguinha de profissão safado;
2) livrar um "afilhado" da cadeia;
3) registrar uma ocorrência policial para D. Mocinha, minha dileta mãe e; o pior de tudo
4) comprar os presentes da família. Acho que esse ano vai ser tudo das Casas Bahia.

Merda. Vou me encher de carnês,