Contos do Adamastor

Estorias surreais de pessoas irreais, contadas por um advogado ranzinza, carente, gentil e docil como um pequeno sagui silvestre. Nao recomendado para minorias intelectuais ou pessoas que se ofendem facilmente. Email: adamastor-em-gmail.com (sim, eu tenho um email do Google. Isso porque eu sou um nerd influente e poderoso)

17.6.03

Fodendo e aprendendo



Já dizia o Ilustre Professor Cezar Roberto Bittencourt, no seu conceito de relação sexual (Código Penal Comentado, Ed. Saraiva, pág. 460):

O vocábulo relações sexuais além da dita cópula vagínica, abrange também as relações sexuais anormais, tais como o coito anal ou oral, o uso de instrumentos roliços ou dos dedos para a penetração no órgão sexual feminino, ou a cópula vestibular, em que não há penetração.


Comentário do Dr. Adamastor da Silva:

Outros tempos, minha gente.

Antigamente, "relação sexual" era o que o seu pai fazia com a sua mãe. E "sexo" era o que aquele fazia com a empregada. Agora, tudo é a mesma coisa.

Contudo, ouso divergir do festejado doutrinador. Quando ele relata que é relação anormal o "o uso de instrumentos roliços ou dos dedos para a penetração no órgão sexual feminino", vejo que ele não está antenado ao festejado fio-terra, tão empregado nos dias de hoje pelos rapazes heterossexuais-fronteiriços, que pretendem cruzar a linha cor-de-rosa.

Além disso, acho que o emérito professor, ao comentar a "cópula vestibular", não previu o modernoso "colar velcro", praticado por algumas sapatas.

Geralmente as que tocam violão e cantam com voz grave.

Portanto, o moderno conceito do Professor Cezar Roberto precisa ser atualizado.

Aliás, o conceito de sexo precisa ser atualizado na mesma frequência que são os programas antivírus: pelo menos, de quinze em quinze dias.